terça-feira, setembro 26, 2006

Emos


Enfim, o quê realmente é esse tal de Emo:

Está se falando muito ultimamente em emo. Sim, emo. Você já deve ter ouvido falar, mas não sabe o que é. Se pá, até você é emo! E nem sabe... Tsc, tsc, tsc...

Etimologia: Emo é a sigla de "Emotional Hardcore". Ou sigla de Eu Masturbo Outros, ou ainda de Eu Melo Ovo. Emo também é Ome ao contrário. Logo, emo é o contrário de ome. Assim, o emo é o baitolo por postulação. Se você é emo, é viadinho, mas se você for viadinho não precisa ser emo necessariamente. Bom, não interessa, porque, segundo as definições de algumas pessoas, "tudo é emo, contudo nada é emo."


História: Mas enfim, como surgiu essa porra toda? Começando pelo começo Essa franjinha nunca me enganou. "Essa nova do Fresno é tudo de bom, néam?"Alemanha, 1941. Um garotinho chamado Adolfinho, cansado de sofrer nas mãos do valentão da escola (um tal de Stalin), resolve se revoltar contra tudo isso aí. Compra um All-Star, um par de óculos de acetato e uns CDs do My Chemical Romance, tudo pra dar vazão aos sentimentos. Então, só pra deixar de ser babaca, apanha ainda mais. Pra piorar tudo, a namorada Mussolini termina com ele. Desolado, em 1º de Maio de 1945, resolve fazer a coisa mais emo que existe: se matar. Será? Existe apenas uma coisa mais emo que suicídio: Um suicídio que não dá certo.

Fonte: Desciclopédia

quinta-feira, setembro 21, 2006

galapagos

Ei galera
vamo pra galápagos!

ehehhe =]

quarta-feira, setembro 20, 2006

Cinelândia [publicado na Folha de S. Paulo de hoje]

Com a pré-estréia de "Dália Negra", de Brian de Palma, começa amanhã o Festival do Rio, que transforma a capital fluminense em terra do cinema até o dia 5/10; seleção tem novidades e filmes que fizeram sucesso em outros festivais

Quantos filmes bons é possível reunir num único ano? Trezentos e oitenta é a soma a que chegou o Festival do Rio, para sua oitava edição, que começa amanhã. Esse número faz da mostra carioca uma realização gigante -também na extensão de dias de programação (15) e de locais de exibição (35, da Barra da Tijuca a Guadalupe).
Mas não é o volume que importa, nas declarações da diretora-geral do festival, Ilda Santiago. "A seleção tem menos em conta o número e mais em conta ter diversidade, garantir que vários públicos serão atendidos. Trazemos os filmes que mais sucesso fizeram nos festivais internacionais [Berlim, Veneza e Cannes, sobretudo] e também uma boa dose de novidades que descobrimos em nossa garimpagem", afirma.
Dado esse viés, os 380 títulos não são necessariamente novos nem necessariamente longos. Há diversos programas de curtas-metragens, incluindo um de filmes feitos para celular, chamado Pocket Filmes.

Visconti
Entre as novas chances para ver velhos filmes, o destaque é a retrospectiva do mestre italiano Luchino Visconti (1906-76).
Dos longas-metragens inéditos, aproximadamente 40% têm distribuidor no Brasil e, portanto, estréia prevista. Alguns para muito breve.
É o caso de "Dália Negra", de Brian de Palma, que será lançado nos cinemas no dia 6/10 e é o filme de abertura do Festival do Rio, amanhã, em sessão de gala, seguida de festa com traje black-tie. Ou de "Torres Gêmeas", de Oliver Stone, sobre os atentados do 11 de Setembro em Nova York, que estréia ainda antes -no próximo dia 29.
O candidato a grande sensação do festival, "Volver", de Pedro Almodóvar, também tem sua estréia no país agendada, para 10 de novembro. É o mesmo dia em que deve estrear o novíssimo Martin Scorsese, "Os Infiltrados", escalado para o encerramento do festival.
"Com o passar dos anos, o público foi entendendo melhor o festival. Se ele está muito fissurado para ver o Almodóvar, ele vai, mas sabendo que está indo só um pouquinho antes de o filme estrear no cinema. Se ele quer ver o que potencialmente não vai ser lançado, procura os filmes com legendagem eletrônica", afirma Santiago.
Para os 60% da programação que não têm estréia acertada no Brasil, Santiago espera atrair também a atenção dos distribuidores. "Pode ser que o festival propicie a aquisição de direitos [de distribuição], a partir do sucesso desses filmes. Essa também é uma função do festival: dar aos distribuidores a certeza de que existem filmes pelos quais eles talvez não se interessem, mas o público se interesse", afirma a diretora.

Mercado
O frisson das platéias de festival e as cenas de filas serpenteando as portas de cinema não deixam de ser um contraste com uma fase em que a indústria do cinema enfrenta tendência mundial de queda na freqüência das salas de cinema.
As questões do mercado cinematográfico serão discutidas numa série de seminários e palestras com presenças do calibre de Bob Pisano, chefe de operações da MPAA (Motion Picture Association of America), que reúne os grandes estúdios norte-americanos.
"Os executivos que vêm garantem para o festival um prestígio e um peso bom para o cinema brasileiro", diz Santiago. Impulsionar o prestígio do cinema brasileiro no mercado internacional é uma das principais ambições do festival, que transformou sua seção de pré-estréias brasileiras, a Première Brasil, em filé da programação.
Neste ano, competem na Première Brasil sete documentários e dez ficções inéditas em circuito comercial. A disputa de curtas tem 17 títulos.
O júri que definirá os vencedores tem até agora confirmados os nomes do cineasta Nelson Pereira dos Santos (presidente), do diretor argentino Marcelo Piñeyro ("O Que Você Faria?") e do francês Christian Jeune, da equipe de curadores do Festival de Cannes.
Entre os convidados ilustres estão o diretor mexicano Alejandro González Iñarritu ("Babel"), o francês Bruno Dumont ("Flandres"), as atrizes Charlotte Rampling e Irène Jacob.
"O festival deve ser feito de grandes celebridades e das celebridades do cinema", diz Santiago, ressaltando que circulará pelo Rio de Janeiro "uma lista de grandes documentaristas e talentos de primeiro filme, que às vezes passam despercebidos pela grande imprensa".

* Eu quero voltar pro Rio...

domingo, setembro 10, 2006

Há quanto tempo...


Bom,
Incentivada pelo meu bom, e paciente, amigo Vasconcelos tô escrevendo aqui.
Como ninguém comentava quando eu postava, acabei desistindo. Mas, o Vasconcelos me falou que a galera não comenta, mas todo mundo lê.
Tô até sem assunto, mas como tava a fim de inaugurar o template novo ficam só essas palavrinhas e a fotinha para vocês.
Não consigo nem pensar que esse será nosso último semestre juntos!!!

quarta-feira, setembro 06, 2006

De Fortaleza para Mundo: Finalmente os nossos Spots!

Depois de tanto tempo, aqui estão eles! Coloquei na internet as melhores produções da nossa cadeira de Produção em Rádio. E não é só isso: tá tudo no Youtube! Ou seja, até mesmo um Nerd islandês desocupado poderá ouvi-los. Você poderá também mandar o link para o seu amigo ou colocar o vídeo direto no seu site ou blog e mostrar pra todo mundo a nossa genialidade. É só copiar o código que tem no Youtube, lá onde tá escrito: Embed


Destaque especial para o já antológico Jingle da Exploração Sexual feito pelo Fantine e com backvocal sensual da Ingrid.

terça-feira, setembro 05, 2006

3 anos depois....

Template novo, coisas novas... Não tive paciência com os efeitos que eu coloquei nos links aí em cima e tirei tudo, tenho paciência não...Prometo que vou colocar os Spots em breve, prometo que eu vou escrever um resumo dos nossos 3 anos de existência e um preview do nosso futuro.

Feliz 3 anos! Daqui a pouco volto com mais festa!

sexta-feira, setembro 01, 2006

aniversario

FELIZ ANIVERSARIO PRA MIM!!!!!

parabéns para você????


Nessa data querida???

Muitas felicidades????
muitos anos de vida???? O que??? É SÓ EM DEZEMBRO???

ORKUT???? Alguém acredita nele???

Parece que sim...